Avançar para o conteúdo principal

Estou tão contente por estares aqui!


O meu nome é Ana Rita e tenho 24 anos. Sou fisioterapeuta e (quase) Health Coach pelo Institute for Integrative Nutrition (IIN). Tenho um grande amor por ajudar os outros através do toque e da palavra e acredito que posso fazer a diferença na tua vida.

Um pouco sobre mim

A minha infância foi muito feliz. Tive direito a tudo e mais alguma coisa, fartava-me de brincar, de subir ao limoeiro em casa da minha avó e correr pelo quintal. Sempre gostei imenso da escola, era aquela menina que ficava triste no último dia de aulas porque ia ficar imenso tempo sem ver os meus amigos e não ia estudar, e eu sempre gostei de ambos. Recordo-me muito bem da altura do ensino básico (do 5º ao 9º ano) até porque foram 5 anos da minha vida muito, mas mesmo muito felizes. Foi a melhor altura escolar que tive, digamos assim. Olho para trás e vejo uma menina cheia de luz, com imensa confiança para enfrentar tudo e todos e pronta para ajudar toda a gente. Tinha uma energia incrível e contagiante e era uma pessoa bastante sociável, tinha imensos amigos na altura. Era muito feliz!

Mas nada dura para sempre...

... e a menina cheia de luz, confiança e com uma energia contagiante chegou ao secundário e desapareceu. Não por completo, mas grande parte. Os 3 anos do secundário foram os mais difíceis. Sentia uma pressão enorme por causa das médias e da escolha de curso superior, que tinha de ser algo que desse dinheiro, adicionando aqui outros fatores como comparação de notas, expectativas dos outros sobre nós, entre tantos outros. Foi uma altura que me causou muita ansiedade, pela primeira vez na vida, que me fez perder a confiança em mim mesma, que me despertou muitos medos e muitas lágrimas. O "eu nunca vou conseguir", "eu nunca vou ser capaz", "eu não sou boa o suficiente" estavam constantemente presentes na minha mente, eram as vozes líderes. 
Comecei a questionar muita coisa e a tentar perceber o que se passava. Sentia-me perdida. 

E por vezes é necessário perdermos-nos para encontrar o caminho.

O secundário teve um impacto enorme em mim enquanto pessoa e influenciou muito a minha Verdade, o meu Ser. A verdade é que nem tudo foi mau, afinal tudo tem um lado bom e menos bom. Tinha (e tenho) um namorado incrível que era como que um pilar, amigos que sempre me apoiaram e pais que faziam tudo e mais alguma coisa para me verem bem. 
No entanto, só notei o quão em baixo estava a minha auto-estima, a confiança em mim mesma e o meu amor-próprio na hora de tirar a carta de condução. Onde senti vergonha por não conseguir quando os outros conseguiam, onde a ansiedade tomou conta de mim e fazia com que eu não acreditasse em mim mesma, onde senti que não era capaz de nada. NADA - podem ler a história aqui
A minha mãe sempre disse que nada acontece por acaso e este episódio não foi de todo ao acaso. Sinto que esse foi o momento que me fez despertar, que me transformou. 

A transformação acontece quando és capaz de acender a tua luz na imensa escuridão que te rodeia.

Recordo-me que naquela altura comprei, pela primeira vez, um livro sobre mindfulness - atenção plena que trazia um CD com meditações, na esperança de me ajudar com a ansiedade e os medos que viviam dentro de mim. No início estranhei, mas a verdade é que aquilo me ajudou. E assim comecei a interessar-me por todo este mundo de desenvolvimento pessoal, auto-estima, amor-próprio e espiritualidade. 

E a universidade? - perguntam vocês. Bem, sou uma apaixonada pela saúde e na hora de escolher o curso superior sabia que tinha de ir para essa área. Tenho um gosto enorme por ajudar e cuidar dos outros e na altura, perante a minha média e possibilidades, escolhi a fisioterapia. E que boa escolha! Os tempos de estudante universitária foram muito bons. Identificava-me com o curso, vivi o que tinha a viver e passei por um processo de crescimento e de evolução brutal, quer a nível pessoal, como a nível profissional. 
Mas tudo o que é bom acaba rápido, não é assim? Não demorei muito até entrar no mundo do trabalho e deixar a vida de estudante para trás - e digam o que disserem, é a melhor vida que podemos ter, que saudades! Foi o início de uma nova aventura, com altos e baixos, tal como é a vida, que durou apenas 10 meses. Por minha escolha. 

É fora da tua zona de conforto onde encontras a verdadeira magia da vida.

Em outubro de 2019 emigrei para França com o meu namorado. Já falávamos disso há algum tempo. A verdade é que trabalhar na área da saúde em Portugal não estava, nem está fácil, e esta decisão foi algo que fazia e faz sentido - temos cá os pais, por isso, não nos falta nada. 
Mas a mudança não foi fácil. Talvez este tenha sido, até agora, o maior desafio da minha vida. Aquele que me tirou a 100% da minha zona de conforto. Onde chorei muito, questionei muitas coisas e duvidei de outras tantas. Mas também onde cresci imenso, amadureci e percebi realmente o que queria e não. 
Hoje ainda não é fácil. Ainda não sinto aquele sentimento de casa a 100%, aquele sentimento de pertença sabem? E isto dói. 
Se calhar estão a pensar se valeu a pena ter emigrado. Para dizer a verdade, também ainda não sei bem. Mas de uma coisa tenho a certeza: Se não tivesse saído da minha zona de conforto e enfrentado os meus medos, não estava onde estou hoje no que toca à pessoa que sou. 

Foi e está a ser uma jornada de auto-conhecimento incrível. E acreditem, não é fácil olharmos para dentro de nós, responder com verdade a determinadas questões e aceitarmos o que somos. No entanto, não há nada mais bonito do que sentir que estou a viver a minha verdade. É tão bom trabalharmos em nós, no nosso amor-próprio e na nossa luz! 

O universo sabe o que faz

Quero-vos mostrar com a minha história (que não está de todo completa, mas o principal está cá!) que a vida é uma constante de altos e baixos. Desafio atrás de desafio. E está tudo bem. A vida é mesmo isto. 
Acredito, e espero que desse lado aconteça o mesmo, que o universo só nos dá as batalhas que sabe que somos capazes de superar, por muito duras que por vezes sejam. 
Para crescer e evoluir é necessário sair da zona de conforto, dar as mãos ao medo, aceitá-lo e respeitá-lo e acima de tudo, amarmo-nos e acreditarmos em nós e na nossa luz! 

Quero muito ajudar-te a seres uma pessoa mais feliz, saudável e de bem com a vida. Quero que te ames, que te respeites e que te aceites, exatamente como és. Quero que sejas capaz de acreditar em ti, de confiar na tua intuição e de viveres a tua verdade. Quero que sejas capaz de estar em harmonia com a vida, que a ames e que a agradeças. Quero que sejas feliz contigo mesma, na tua versão mais pura e autêntica.

Estás pronta para embarcar nesta aventura comigo? 😊

Comentários

  1. Rita, acho que já não é surpresa para ti que és uma pessoa que eu admiro profundamente por essa luz que emanas, por essa calma e boa energia que transmites. Foi muito bom ler sobre esta tua jornada, conhecer-te melhor e ver-te de volta à blogosfera. Vou acompanhar tudo o que fores publicando por aqui. Boa sorte nesta nova fase!

    Beijinhos grandes,
    http://inescm2.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Curto muito seus posts, são muito bem criativos e interessantes.. Sempre estou aqui lendo e compartilhando com minhas amigas...

    Beijos 😘.

    Meu Blog: Blog do Gil

    ResponderEliminar

Publicar um comentário