Vida de Emigrante || 1 Mês desta aventura


Bonjour Margheritas! 
Há algum tempo que não apareço por aqui. Anda a acontecer tanta coisa e o tempo é tão pouco que o blog é algo que deixo para segundo plano (uma forma de dizer, que na verdade está em quarto ou quinto, sorry!).
Mas hoje quis voltar a escrever. Escrever para vocês e também para mim, até porque quando começo a rever as minhas publicações antigas, revejo a minha vida, o meu passado e é bom recordar memórias e sentimentos de determinadas alturas. 
Emigrei definitivamente há cerca de 1 mês (mais coisa, menos coisa) e posso dizer que tem sido uma aventura e pêras! Comecei a trabalhar na minha área, a fisioterapia (embora não tenha contrato como fisioterapeuta por causa de todas as burocracias e papeladas necessárias que a França impõe!) o que é extremamente bom para praticar o meu francês, conhecer a fisioterapia neste mundo e fazer contactos! Tive muito medo no início, muito mesmo. Não estava a ser capaz de acreditar em mim e tinha muitas dúvidas se este trabalho era o caminho certo. Mas nada como entrar "na boca dos lobos" e despertar o meu lado mais forte e corajoso. Todos os dias me orgulho de mim mesma, de ser capaz de superar os desafios que encontro no trabalho, de não ter medo de falar, nem de perguntar algo e mais importante, de não ter medo de errar. Porque faz parte e é ok não saber falar francês na perfeição. Admito que tenho muita sorte (ainda que acredite que a sorte de cada um de nós vem com o trabalho!) com os colegas de trabalho que tenho. São polacos, divertidos e respeitam. Costumo dizer que foram luzes que me apareceram na vida. Eles não sabem, mas são pessoas extremamente importantes no meu desenvolvimento, quer pessoal como profissional. Ter sido capaz de atrair pessoas como eles não foi por acaso, e ainda que o trabalho não me apaixone (a fisioterapia é um mundo enorme e a área onde estou atualmente não é a de eleição) torna-se mais fácil sair de casa cedo, pois sei que vou estar com pessoas que me enchem o coração. E por isso estou muito feliz e muito grata! 
Quanto ao resto, ainda estou em processo de entranhar todas estas novas mudanças e rotinas na minha vida. É estranho não ter um centro comercial perto, é estranho não ter a "independência" que tinha em Portugal, no sentido de sair de casa e ir caminhar sozinha ou fazer outra coisa qualquer sozinha, é estranho passar o dia inteiro no trabalho e sentir que não faço nada por mim. Ainda estou em processo de criar uma rotina, de perceber o meu ritmo e o que consigo e não fazer. Sem pressão e ao meu ritmo. O importante é que todos os dias faço algo por mim e todos os dias me conheço um bocadinho melhor. Mas isso é algo para falar numa futura publicação. 
Espero que estejam bem!

Até à próxima publicação,
Bisous!

Sem comentários