Quatro Tentativas || Carta de Condução

by - outubro 20, 2018

Olá Margheritas!
Faz hoje 3 anos que tirei a carta de condução. Lembro-me do dia como se tivesse sido ontem. E hoje partilho a minha experiência, na esperança de vos inspirar e também em jeito de me "libertar" um pouco dos demónios que de vez em quando ocupam a minha cabeça!

Tudo começa no ano de 2014. Foi na altura das férias de verão que me inscrevi na escola de condução. Fazia 18 anos em Agosto e para não atrasar muito tive aulas de código antes do meu aniversário. Não sei ao certo quantas aulas tive de fazer, mas sei que ainda fiz algumas, fiz muitos testes e no dia do exame do código, ainda que muito nervosa, cheguei, fiz e passei (acho que com uma errada, mas não tenho a certeza!). 
Depois do código, vem a condução. Sou uma pessoa muito mais segura a ser avaliada na teoria, do que na prática, pelo menos na altura era assim, e por aí já existia alguma falta de confiança da minha parte. Recordo-me que haviam aulas que corriam bem, outras nem tanto, e sei que andava muito receosa com o exame (não sabem, mas antes sofria imenso de ansiedade, as coisas ainda não estavam a acontecer e eu já estava a pensar no pior cenário!). 
Chegou o dia do exame. Fiz o exame todo bem feito, sem erros, até chegar ao centro de exames, ou seja, no fim, e bater no passeio. Chumbei. Chorei tanto, mas tanto. Estava tão triste, tão revoltada com o mundo. Sentia-me a pessoa mais azarada de sempre (hoje sei que não foi azar e sei o porquê de ter acontecido). 
Vamos então ao segundo exame de condução. Fiz as aulas que tinham de ser feitas e lá fui. Nervosa, mas com a esperança que desta era de vez. E fiz o exame, e novamente no fim, subo um passeio. Chumbei pela segunda vez. Tinha sido o fim do mundo. Já não acreditava que era capaz, já não queria tirar a carta. Era algo "tabu" na minha vida e tinha uma vergonha enorme de falar sobre isto, sou sincera. Os outros conseguiam e eu não. Senti-me a bater no fundo, no sentido de, eu sou uma merda, não sei conduzir, nunca vou conseguir. 
Já muito desanimada e quase "contrariada" fui ao terceiro exame de condução, e os nervos eram tantos, mas tantos que deixei o carro ir abaixo 3 vezes. Chumbei pela terceira vez. Mais uma batalha perdida. Lembro-me de estar super desanimada, ter vergonha de mim mesma, não querer falar sobre isto a ninguém. Estava muito mal. A ansiedade tinha-me consumido por inteiro e tomou o controlo. O medo e a vergonha eram os principais sentimentos e a minha cabeça estava recheada dos piores pensamentos que podem imaginar! Sei que fiz uma pausa e estive um tempo longe de tudo o que tivesse relacionado com condução e exames. Já não aguentava a pressão de ter de tirar a carta como os outros. Este era o meu demónio. Aquele me deitava abaixo, que me fazia duvidar de mim mesma, que me fazia chorar até não conseguir mais.
Não tenho noção de quanto tempo estive parada. Sei que mudei de escola porque onde estava já não fazia sentido, precisava de mudar e assim foi. Tive um instrutor incrível, com uma paciência de louvar que me aturou até mais não - para terem noção, eu era capaz de chorar em todas as aulas de condução por causa da ansiedade. Lembro-me de ele me dizer, já cansado, que não podia continuar assim e sei que me disse "...medita, reza, faz o que quiseres, mas não podes estar assim!". Aquilo entrou de tal maneira que lembro-me que, ao fim da tarde, quando cheguei a casa fui meditar ou tentar. E sei que começou a ser uma prática diária naquela altura. O dia do exame tinha chegado. Estava numa pilha de nervos. Para ser sincera, hoje não me lembro do percurso que fiz nem como correu. Finalmente, tinha conseguido passar no exame de condução. Chorei tanto de felicidade. Tinha vencido a guerra. Não há palavras para explicar o que senti naquele dia.


Passaram 3 anos desde esse dia. Foi uma luta do caraças, sabem? Mas tinha que ser assim. Não podia ser de outra forma. Era altura de crescer, de perceber que as coisas nem sempre correm como queremos e que os pensamentos controlam o nosso estado de espírito! A ansiedade consegue ser a nossa pior amiga e hoje sei que foi o me tramou. Olho para trás e não me lembro de uma miúda calma como sou agora. Sofria imenso por antecipação, nunca acreditava em mim nem nas minhas capacidades e, sem dúvida que tirar a carta foi um abre-olhos.
Hoje sei o que sou e sei o que valo. Hoje agradeço esta luta a quem está lá em cima. Hoje sou mais forte, sei lidar com a ansiedade e orgulho-me da minha mudança!

Espero sinceramente que tenham gostado da minha partilha e que vos tenha inspirado a nunca desistirem dos vossos objetivos e a serem mais fortes que a ansiedade. Chorei muito enquanto escrevia, mas ainda bem que o fiz. Já libertei mais um bocadinho este demónio.
Obrigada por estarem sempre desse lado!

Um beijinho Margheritas!

You May Also Like

17 comentários

  1. Há uma sensação de frustração que não conseguimos ignorar. E, por isso mesmo, também não conseguimos que, por mais doloroso que seja, temos que passar por estas privações. Temos que cair, para nos levantarmos mais fortes e seguros das nossas capacidades. Se soa a lugar comum? Talvez. Mas não deixa de ser verdade.
    Imagino que tenha sido doloroso gerir tudo o que implicou chumbar nos exames. Mas conseguiste. Podes ter tremido, mas não desististe. E venceste. Isso será sempre o melhor ponto de viragem :)

    ResponderEliminar
  2. Felizmente, não tive qualquer problema quando tirei a minha carta de condução. No entanto, uma amiga minha, que tal como tu, chumbou algumas vezes no exame de condução.
    O pior mesmo são os nervos e a forma como eles se apoderam de nós e fazem com que não sejamos capazes de acreditar que realmente conseguimos ultrapassar um certo obstáculo. Todos nós já nos sentimos assim, quer num exame de condução ou até mesmo num exame da faculdade.

    O importante é nunca desistirmos! Se é preciso tomar outro rumo para o conseguir, que seja. Desde que alcancemos o objectivo com um sorriso no rosto!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Acredito que tenha sido muito difícil e que tudo se tenha agravado com a pressão que punhas em ti devido à comparação que fazias com as outras pessoas. Fico muito contente que tudo tenha acabado em bem e que a partir desta experiência tenhas concluído que a meditação te ajuda verdadeiramente a solucionar a ansiedade. :)
    Um beijinho grande.

    O meu blogue, "F de Francisca": fdefranciscablog.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Este texto faz super sentido para mim nesta altura! Ainda não fiz a carta porque "não tenho tempo" (na realidade acho que é mais medo). E ao ler isto ganhei um pouco mais de confiança e vontade de a fazer! Já ando a tratar da papelada, talvez comece no mês que vem :)

    Beijinhos, Catarina | Blog // Instagram // Facebook // Bloglovin’ // Youtube

    ResponderEliminar
  5. Lembro-me de também estar numa pilha de nervos, no exame de condução. E muitas vezes é mesmo isso que nos atrapalha... Felizemnte conseguiste superar esse desafio :)
    Beijinhos ***
    Blog Vinte e Muitos

    ResponderEliminar
  6. Aiii nem quero imaginar quando chegar a minha vez, sei que vou ficar super nervosa e nem vou ver nada à frente :(( Lembro-me de me teres contado esta história quando nos conhecemos, e fico super feliz que tenhas conseguido, porque consegues tudo <3
    Beijinhos,
    Blog An Aesthetic Alien | Instagram | Facebook
    Youtube

    ResponderEliminar
  7. Gostei muito de ler a tua experiencial e de como apesar de tudo não desistis-te a continuas-te a tentar. A ansiedade realmente atrapalha muito , eu sou um pouco assim e estraga muito a minha vida.

    ResponderEliminar
  8. r: São mesmo encantadores *-*

    Fernando Daniel sempre com músicas inspiradoras!

    Beijinho grande, minha querida*

    ResponderEliminar
  9. Ahh adorei ler a sua experiência.
    Eu tive que repetir uma vez, no primeiro eu fiquei MUITO nervosa e a pessoa que estava do meu lado não me ajudava muito. Há na segunda, fui mais tranquila. NOSSA na primeira vez deixei o carro morrer tantas vezes haihauihauihauihaiuhauihai

    Sai da Minha Lente

    ResponderEliminar
  10. Way to conquer your anxiety! I also remember funny stories from getting my driving license.

    www.fashionradi.com

    ResponderEliminar
  11. Identifiquei-me muito, precisamente porque também chumbei 3 vezes e os nervos davam cabo de mim! Felizmente consegui ultrapassar isso, e fico feliz que tu também. <3 Ainda bem que partilhaste a tua história!
    Beijinhos, www.thefancycats.pt

    ResponderEliminar
  12. Chumbei uma vez na condução e foi uma sensação horrível... Chorei imenso porque me sentia muito frustrada, mas tudo se consegue e depois é mesmo bom!!

    Novo post: https://abpmartinsdreamwithme.blogspot.com/2018/10/os-meus-novos-tenis-puma-basket-heart.html

    Beijinhos ♥

    ResponderEliminar
  13. Gostei muito do teu texto e sem sombra de dúvida que foi inspirador! Vou tentar lembrar-me dele quando falhar uma outra e outra vez. Bem sei o quanto preciso. Obrigada!

    ResponderEliminar
  14. Ainda não tirei a carta, mas conheço amigas que tiveram a mesma situação. É preciso manter a calma, se bem que nem sempre é fácil...

    ResponderEliminar
  15. Identifiquei-me com este post porque conheço essa sensação de chumbar num exame importante que toda a gente parece ser capaz de passar à primeira (no meu caso não foi o exame de condução, mas não interessa). Também me senti mesmo mal, a pensar que era mesmo burra e que não valia nada. Chumbei por duas vezes. Passei à terceira, um ano depois de ter chumbado a segunda vez. Às vezes precisamos mesmo de uma pausa e de não fazer as coisas à pressão. Parece que corre tudo melhor :)

    ResponderEliminar
  16. A pressão que, por vezes, colocamos em nós é mesmo a nossa pior inimiga. E eu sei, sei que não é propositado, que os nervos chegam, que os medos vêem e quando damos conta é tudo uma bola gigante onde estamos emaranhados e mal nos conseguimos mexer. Mas, mais tarde ou mais cedo, damos conta do recado, quando passamos a acreditar em nós, como tu fizeste.
    E somos todos diferentes, por isso, temos o nosso próprio ritmo. Acredito, tal como tu, que as coisas acontecem no tempo certo. Embora tenha custado, embora tenha sido frustrante, tudo isso trouxe-te aprendizagens essenciais para a vida e é isso que tens de guardar.
    Também não passei à primeira, o que fez com que quando fosse à segunda estivesse com o dobro dos nervos, mas passo a passo a gente consegue :)
    E essa pausa parece-me que foi mesmo o melhor que fizeste. Conseguiste e é isso que importa, continua sempre assim, acredita sempre em ti <3

    ResponderEliminar