5 Razões para não tratar familiares (mais próximos!)

by - outubro 10, 2018

Olá Margheritas! 
Hoje trago-vos um post um pouco diferente do habitual e até um pouco ousado, parece-me. Como sabem sou fisioterapeuta e inspirei-me na minha profissão e na minha experiência para vos dar 5 razões pelas quais nós, profissionais de saúde, não devemos tratar familiares (pelo menos os mais próximos!).

IMAGEM RETIRADA DO GOOGLE

1) Para eles, somos milagreiros e as dores vão passar logo
Não é assim que funciona. Milagres só Deus e, às vezes, nem esse. E as dores não passam de um momento para o outro. Pode sim, aliviar mas tem de ser um trabalho contínuo e por norma, eles não percebem!

2) Qualquer lugar serve para fazer um diagnóstico ou uma massagem
Seja à mesa, no café ou até no carro, qualquer espaço serve para ver o que é aquela dor no ombro ou no joelho e até para "dar um jeitinho" com uma massagem e tal. Não. Não funciona assim, nem sequer pode funcionar. Portanto, cada ocasião tem o seu espaço e uma sessão de fisioterapia não é diferente!

3) Não tendem a ter atenção aos nossos conselhos, só querem a massagem
Com um paciente dito normal é habitual aconselhar exercícios para fazer em casa e até movimentos que devem se devem evitar ou conselhos sobre mudar o estilo de vida. O paciente dito normal ouve-nos, o familiar não. As massagens é que resolvem e pouco mais. Esquecem-se que um tratamento/recuperação é trabalho dos dois - metade do fisioterapeuta e metade do paciente. Se um não quer, dois não fazem.

4) Pensam que não nos dói nada
Nós também temos dores de costas e de braços, muitas! Podemos ter mais conhecimento em como melhorar a sintomatologia dolorosa, mas também sofremos, e às vezes mais do que pensam. Portanto, não formem afirmações ou certezas daquilo que não sabem! 

5) Querem sempre descontos ou até serviço de borla
Este tópico tem muito que se lhe diga. Qualquer curso custa dinheiro e todos sabemos que ninguém vive do ar, não é? Uma pessoa estuda e tira um curso para ter uma vida melhor, mais confortável. Portanto, ainda que recém-licenciada, não vou pedir valores exorbitantes como acontece em alguns locais, mas também não é de borla! Pedir para treinar em "x" pessoa, determinadas técnicas e intervenções é uma coisa, agora pedirem um tratamento (por mais pequeno que seja) é diferente. Por vezes não percebem e podem até ficar "chateados", mas é importante explicar que se fosse ao contrário eles de certeza que também queriam ser recompensados, digamos assim!

Qual é a vossa opinião acerca de profissionais de saúde tratarem familiares?
A minha profissão tem muito que se lhe diga e lidar/tratar familiares não é fácil, pelo menos os mais próximos, atenção!
Espero sinceramente que tenham gostado deste post. Peço também que o respeitem e que todas as críticas que surjam que sejam construtivas. Estou muito curiosa para saber qual a vossa opinião acerca deste assunto, portanto partilhem comigo nos comentários!

Um beijinho Margheritas!








You May Also Like

16 comentários

  1. Realmente isso dos descontos acontece regularmente, sei disso porque tenho familiares que passam a vida a pedi-los a sobrinhos e outros conhecidos ahah ;)

    Beijinhos,
    Ella Morgan
    moonlightfelicitydestin.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Concordo com todos os pontos que referiste! :D
    beijinhos

    www.amarcadamarta.pt

    ResponderEliminar
  3. Não sou fisioterapeuta, mas também tirei um curso da área da saúde (nutrição), por isso consigo identificar-me com os pontos 2 e 5 :P Já várias pessoas me disseram coisas tipo "Faz-me uma dieta" (nem sequer gosto da palavra "dieta", mas é mesmo assim que me dizem xD) ou "Diz-me o que tenho que comer para emagrecer", etc, como se essas coisas pudessem ser feitas em qualquer lado e de um momento para o outro! Enfim xD
    Realmente esta questão de tratar familiares tem muito que se lhe diga. Então no que toca ao preço/descontos... E também tenho a sensação de que um familiar não vai levar tão a sério aquilo que eu disser e que até me vou sentir melhor se tratar um desconhecido em vez de um familiar. Não sei porquê :P

    ResponderEliminar
  4. A proximidade, nestes casos, acaba por ser inconveniente. Porque, consciente ou inconscientemente, existe um certo aproveitamento da outra parte por ser familiar. Mas é como tu dizes, cada ocasião tem o seu espaço e, além disso, tem que haver respeito pelo lado profissional. As pessoas não tiram um curso só porque é bonito. Uma coisa é, numa situação pontual, fazer-se um favor, outra completamente diferente é tornarem isso um hábito

    r: Muito, muito obrigada, linda *-*

    ResponderEliminar
  5. awww, obrigado :D Fico mesmo, mesmo feliz por ler isso. De verdade :)

    Isto é mesmo verdade :o Tenho uma amiga minha que é fisioterapeuta e aqui há dias falámos precisamente sobre isto :P

    NEW FASHION POST | HOW TO BE SUPER FASHION IN THE FALL.
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  6. Não exerço nenhuma função com que me possa rever no meu post mas tenho a capacidade de sublinhar tudo o que escreveste porque tenho noção que isso poderá ser bem verdade.

    ResponderEliminar
  7. Consigo compreender as razões com facilidade. Os meus familiares menos próximos acham mesmo que os vou maquilhar de borla, a toda a hora. Enfiiiim!

    THE PINK ELEPHANT SHOE

    ResponderEliminar
  8. Concordo totalmente contigo :D
    Gostei do blogue ;)
    Parabéns
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Great post, dear!
    I like your blog so much!
    Following you from now :) №360
    I will be very happy if you follow me back :)
    Have a good day!

    My blog - http://www.valeriianest.com/

    ResponderEliminar
  10. Quase que se pode transpor para enfermagem também xD

    Tenho P & R ali no Reino, vem fazer uma perguntinha ;)

    Beijinhos,
    O meu reino da noite
    facebook | instagram | bloglovin

    ResponderEliminar
  11. r: O mar consegue sempre despertar essas sensações de respeito e tranquilidade. Porque é imenso, mas acaba por nos sossegar.
    Muito obrigada, minha linda *-*

    ResponderEliminar
  12. ohn, obrigado eu :D

    NEW BRANDING POST | DECADES: CELEBRATION OF THE 60 YEARS OF HUSH PUPPIES.
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  13. Ainda não acabei o curso, mas compreendo muitos dos pontos que enumeras porque de vez em quando já ouço alguns "depois vais poder dar aqui uma mãozinha", sei que não o dizem por mal, mas às vezes fico a pensar que desvalorizam um bocado, ainda por cima, confundem muitooooo o nosso trabalho com o dos fisioterapeutas :p
    Acho que a proximidade pode atrapalhar de certa forma o nosso trabalho, por isso, acredito que mais vale serem encaminhados para um colega ou assim. Porque por mais que queiramos vai ser sempre muito difícil deixar os laços de parte, muitas vezes, o nosso paciente.
    Gostei do post, é bom falarmos destes assuntos com esta sinceridade :)

    ResponderEliminar
  14. Concordo em grande parte, discordo noutra. Sei que pode ser considerado pouco ético mas o meu namorado, enquanto mestre de reiki, faz terapia à minha tia e ela tem melhorado exponencialmente. Tudo aquilo que ele eventualmente ficou a saber sobre ela nada passa para mim e dela o mesmo; a mesma coisa para a relação deles que se manteve a mesma e já se vão alguns meses. Ou seja, se as pessoas souberem perceber os limites e meter tudo no seu devido lugar, não vejo porque não. Pode ser tão mais terapêutico por ele conhecer tão bem a nossa realidade familiar e ele estar presente, por vezes, em situações que lhe geram desconforto e que ele consegue imediatamente identificar.

    ResponderEliminar