AMOR PRÓPRIO #7

by - agosto 14, 2018


Vou-vos contar como surgiu a ideia deste post. A música "Mafiosa" está em altas este verão e, eu pessoalmente adoro, ouço imensas vezes e mete-me logo a dançar! Surgiu estar a preparar-me para ir buscar o meu namorado e vesti um macacão (em formato calção) e comecei a dançar em frente ao espelho. E reparei em mim, como faço grande parte das vezes, mas naquele momento de forma diferente e mais em pormenor, digamos assim. 
Sempre soube que não tenho o corpo perfeito, nem de longe nem de perto. Não me considero gorda nem magra, sou uma mulher com "chicha". E hoje aceito-me como sou e todos os dias tento gostar mais um bocadinho de mim e do meu físico. Tenho perfeita noção de que a alimentação e o exercício físico são essenciais para o nosso bem-estar, quer seja mental ou físico e também tenho noção daquilo que faço e que como, que por vezes pode não ser suficiente ou o melhor. Tenho fases em que como melhor e outras em que como pior, alturas em que decido mexer o rabo todos os dias e outras que estou parada durante imenso tempo, mas e então? 
Sim, tenho celulite. Tenho estrias. Tenho aquela gordurinha na barriga. Tenho peito pequeno. Tenho pouco rabo. Por vezes aparecem-me borbulhas. Há dias em que fico inchada. Gosto de comer chocolate. Consigo ser muito preguiçosa. Mas sabem que mais? Sou feliz, muito feliz comigo mesma e isso é sem dúvida o mais importante. Se gosto das minhas imperfeições? Claro que não, ainda para mais quando vivemos numa altura em que as redes sociais dominam o mundo e só aparecem corpos todos perfeitos no nosso feed de instagram, mas sei perfeitamente que também são as minhas coisas menos boas que me tornam única e autêntica.
Quero com isto dizer que ninguém é perfeito, todos nós temos algo que não gostamos, quer seja físico ou psicológico, mas é importantíssimo aceitar o nosso corpo, a nossa casa. Não se deixem enganar por aquilo que vêm no mundo digital, há uma imensa edição na fotografia antes de ir para o mundo da internet, nem fiquem se quer com a ideia que têm de ser assim, que aquilo é o "certo". Não existe certo ou errado, existe normal. Tu és normal. Eu sou normal. Para quê viver em busca da perfeição se ela não existe?
Amem-se com o que têm, seja a mais e a menos. E se querem mudar? Força nisso. Que vocês sejam sempre a vossa maior fonte de inspiração e o que o façam por vocês e não por mais ninguém!

Deixo-vos com a parte da música que me inspirou a escrever este texto enquanto olhava para as minhas pernas pouco tonificadas e a abanar um bocadito (ahahaha):

Eu 'tô bem
Tu também 'tá bem
Todo mundo aqui 'tá bem 
J'suis avec mon mec 'tá tudo bem
"Lartiste - Mafiosa ft. Caroliina"

Espero que tenham gostado deste post, que vos tenha ajudado a refletir um bocadinho sobre o que realmente importa e que partilhem com os vossos amigos.
Sejam Felizes!



You May Also Like

15 comentários

  1. Tão verdade! É realmente importante aceitar todas as nossas qualidades e defeitos! :D
    Gostei muito do texto!
    beijinhos

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Sempre tive imensos complexos com o meu corpo. Ainda hoje tenho. Mas cheguei a uma fase da minha vida em que me cansei de lamentar e comecei a agir. Ainda não atingi os meus objectivos, mas o facto de estar a tentar melhorar por mim e para mim, faz com que o meu pensamento se torne um pouco mais positivo todos os dias.
    Texto super inspirador. Obrigada!

    ResponderEliminar
  3. Ninguém é perfeito. Não existe tal coisa, mas é como dizes: temos que gostar de nós tal como somos. Tudo bem que podemos melhorar um pouco a nossa imagem, mas é porque queremos e porque nos queremos sentir melhor e não porque alguém quer que isso aconteça ;) se não gostarmos de nós, quem gostará?

    Beijinhos,
    Ricardo, www.opinguimsemasas.pt

    ResponderEliminar
  4. Amarmo-nos deveria ser obrigatório! Porém, nem sempre é fácil e há alturas em que deixamos que as inseguranças vençam. «mas é importantíssimo aceitar o nosso corpo, a nossa casa. Não se deixem enganar por aquilo que vêm no mundo digital, há uma imensa edição na fotografia...», não poderia estar mais de acordo, minha querida

    r: Muito obrigada *-* enche-me o coração ler isso!

    ResponderEliminar
  5. Olá
    Eu também penso dessa maneira, consigo perceber que o meu corpo não é perfeito e que aquelas imagens de perfeição escondem muita coisa e não me conseguem influenciar, mas acredito que para as jovens de hoje isso possa ser um problema. Grave.
    Xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderEliminar
  6. opa, adorei este post!! mesmo
    concordo a 100% contigo, acho que nos devemos aceitar como somos, afinal de contas, como tu disseste, esta é a nossa casa. No entanto, se houverem aspetos que não gostamos nada e que conseguimos mudar eu sou 100% a favor que o façamos, se é algo que nos faz sentir mais felizes
    beijinhos

    http://umacolherdearroz.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Que post lindo <3 E tu também és linda, lindaaaaaa! O que interessa é gostarmos de nós, e sermos o primeiro a fazê-lo! Se não gostarmos de nós, como poderão os outros gostar? É mesmo isso que dizes, todos os dias ter mais um bocadinho de orgulho em nós mesmo <3
    Beijinhos,
    Blog An Aesthetic Alien | Instagram | Facebook
    Youtube

    ResponderEliminar
  8. Ora nem mais, concordo completamente contigo!
    Há sempre alguma coisa que não gostamos em nós, mas aposto que do outro lado há alguém a desejar ter aquilo que nós próprios não gostamos. É mesmo assim!
    Só temos de saber aceitar e sentirmos-nos bem connosco mesmo e, se for para mudar, que seja sempre por nós e não por aquilo que a sociedade teima em considerar como "correto"

    ResponderEliminar
  9. É isto que eu gosto de ler na blogosfera, relatos de mulheres reais, que não têm o "peso perfeito" (que nem sequer existe, a nossa saúde não se avalia unica e exclusivamente pelo peso), que têm estrias, borbulhas, celulite, que cometem erros e que, apesar de tudo, estão bem consigo próprias. Gostar de nós mesmas é o mais importante :).
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  10. Temos mesmo de aceitar como somos, e tentar fazer o melhor por nós para nos sentirmos melhor!!

    Novo post: http://abpmartinsdreamwithme.blogspot.com/2018/08/q-6-aqui-vem-as-respostas.html

    Beijinhos ♥

    ResponderEliminar
  11. Gostei muito de ler, sinto exactamente o mesmo :)

    ResponderEliminar
  12. Ainda ontem estava a ter essa conversa com uma outra blogger, de como estamos fartos de o normal e bonito imposto pela sociedade sejam as raparigas modelo de ikini e os rapazes de tanquinho. A beleza é muito mais que um corpo tonificado.
    Temos mesmo que gostar das nossas imperfeições ou pelo menos aceitá-las, o perfeito imperfeito. :)

    MRS. MARGOT

    ResponderEliminar
  13. linda, linda, linda!! tens toda a razão :) eu cada vez mais tenho consciência que as imperfeições que eu tenho, todos as temos e não temos de nos sentir mal com isso :)

    r: aiii! o nelson évora é um poço de coisas boas! muahahaha

    ResponderEliminar
  14. Tens tanta razão minha querida! O mais importante é isso, é amarmos-nos tal e qual como somos, mesmo que não tenhamos o suposto corpo perfeito. Somos mais do que isso, mais do que um número, mais do que as nossas estrias ou a nossa celulite e não somos anormais, por isso. Somos autênticas, somos únicas. Também já pensei bastante nisso, por exemplo, pensar duas vezes antes de publicar uma foto, só porque se nota a minha celulite, mas agora, estou-me a borrifar, se gosto da foto publico!
    Há dias em que gosto mais de me ver ao espelho, dias em que gosto menos, mas o essencial é continuar a gostar de mim.
    Esses momentos, connosco próprias, apreciando o que temos de bom só devem acontecer cada vez mais. Gostei muito muito desta publicação querida, é esse o pensamento :)

    ResponderEliminar