Featured Slider

Vida de Emigrante || 1 Mês desta aventura


Bonjour Margheritas! 
Há algum tempo que não apareço por aqui. Anda a acontecer tanta coisa e o tempo é tão pouco que o blog é algo que deixo para segundo plano (uma forma de dizer, que na verdade está em quarto ou quinto, sorry!).
Mas hoje quis voltar a escrever. Escrever para vocês e também para mim, até porque quando começo a rever as minhas publicações antigas, revejo a minha vida, o meu passado e é bom recordar memórias e sentimentos de determinadas alturas. 
Emigrei definitivamente há cerca de 1 mês (mais coisa, menos coisa) e posso dizer que tem sido uma aventura e pêras! Comecei a trabalhar na minha área, a fisioterapia (embora não tenha contrato como fisioterapeuta por causa de todas as burocracias e papeladas necessárias que a França impõe!) o que é extremamente bom para praticar o meu francês, conhecer a fisioterapia neste mundo e fazer contactos! Tive muito medo no início, muito mesmo. Não estava a ser capaz de acreditar em mim e tinha muitas dúvidas se este trabalho era o caminho certo. Mas nada como entrar "na boca dos lobos" e despertar o meu lado mais forte e corajoso. Todos os dias me orgulho de mim mesma, de ser capaz de superar os desafios que encontro no trabalho, de não ter medo de falar, nem de perguntar algo e mais importante, de não ter medo de errar. Porque faz parte e é ok não saber falar francês na perfeição. Admito que tenho muita sorte (ainda que acredite que a sorte de cada um de nós vem com o trabalho!) com os colegas de trabalho que tenho. São polacos, divertidos e respeitam. Costumo dizer que foram luzes que me apareceram na vida. Eles não sabem, mas são pessoas extremamente importantes no meu desenvolvimento, quer pessoal como profissional. Ter sido capaz de atrair pessoas como eles não foi por acaso, e ainda que o trabalho não me apaixone (a fisioterapia é um mundo enorme e a área onde estou atualmente não é a de eleição) torna-se mais fácil sair de casa cedo, pois sei que vou estar com pessoas que me enchem o coração. E por isso estou muito feliz e muito grata! 
Quanto ao resto, ainda estou em processo de entranhar todas estas novas mudanças e rotinas na minha vida. É estranho não ter um centro comercial perto, é estranho não ter a "independência" que tinha em Portugal, no sentido de sair de casa e ir caminhar sozinha ou fazer outra coisa qualquer sozinha, é estranho passar o dia inteiro no trabalho e sentir que não faço nada por mim. Ainda estou em processo de criar uma rotina, de perceber o meu ritmo e o que consigo e não fazer. Sem pressão e ao meu ritmo. O importante é que todos os dias faço algo por mim e todos os dias me conheço um bocadinho melhor. Mas isso é algo para falar numa futura publicação. 
Espero que estejam bem!

Até à próxima publicação,
Bisous!

palavras soltas



somos guiados pelo universo. todos os dias. por vezes parece que damos passos maiores. outras vezes parecemos estagnados. é engraçado como pequenas situações nos metem a pensar e nos fazem refletir um bocadinho. 

talvez para seguir os meus sonhos tenha de cuidar de mim e do meu coração primeiro. tenha de voltar a ganhar a confiança que antes tinha e que neste momento preciso. ser mais forte que os medos e ir em frente. talvez seja isso. talvez tenha de acreditar em mim e no meu potencial. estudar com vontade. lutar com força. a sério. para chegar bem longe, onde tanto anseio chegar mas o medo me faz recuar. talvez tenha apenas de seguir as dezenas de conselhos que dou e aplicá-los a mim. talvez seja isso.

life update



Bonjour Margheritas!
Espero que esteja tudo bem com vocês. Estou de volta e hoje trago-vos um resumo de tudo o que aconteceu na minha vida nos últimos tempos.
Recuemos até maio. O mês em que o blog deixou de fazer sentido. O mês em que tive a necessidade de desligar do mundo digital. Tive a sensação de que estava a criar uma certa "dependência" das redes sociais, a absorver demasiada informação, a não saber filtrar o que consumia (que era muitoooo!). Fui deixando aos poucos, foquei-me no meu trabalho, no mundo real. Sem grandes acontecimentos, nem mudanças. Uma vida normal.
Junho é um dos meus meses preferidos. Eu e o meu namorado fizemos 8 anos de namoro e, como é hábito, decidimos fazer uma escapadinha romântica no H2otel Congress & Medical Spa. Foi incrível e podem ver toda uma review no meu instagram, nos destaques - AQUI!
Entramos em Julho, mês em que o meu namorado se tornou oficialmente Mestre em Medicina Dentária. Fiquei tão feliz por ele! A apresentação da tese foi tão bonita. Acho que conseguia estar um bocadinho mais nervosa do que ele, mas ele saiu-se lindamente!
Completei 23 anos no dia 5 de agosto numa das zonas mais bonitas que o nosso Portugal tem. No Douro. Decidi mimar-me e como presente de aniversário de mim para mim (porque eu mereço, né?!?) fui até ao Douro41 com a minha cara-metade. Um hotel com uma vista de cortar a respiração. Completamente mágico! A review há-de aparecer também no instagram, só não sei é bem quando.
Após isso, fomos de férias para o Algarve que souberam pela vida! Quando trabalhamos sentimos ainda mais necessidade de férias. Afinal, a vida de estudante é muito boa!
E falando em trabalho, saí do meu no final de agosto. Já estava programado sair, já todos sabíamos que ia acontecer, mas nunca se está preparado para uma despedida. Custou um bocadinho despedir-me de tantos colegas, de tanta boa gente, da primeira casa que me acolheu, mas a vida é mesmo assim. Foi uma oportunidade brutal que tive e estou extremamente grata por tal ter acontecido, mas foi hora de sair da minha zona de conforto e vir em busca de novo mundo.
E chegamos ao dia em que estamos hoje, que após a vindíma e uns dias de descanso em Portugal, vim de vez para França com o meu namorado. Dizem que primeiro estranha-se, depois entranha-se. Não sei bem em que fase em que estou. Meia a estranhar, meia a entranhar. É tanta coisa a acontecer, tanta mudança, tanta informação para absorver. As burocracias para começar a trabalhar são infinitas, é um país mais frio que o nosso Portugal e a língua... aprendi a gostar da língua, mas tenho noção que é um dos meus calcanhares de aquiles como se costuma dizer. No entanto, também sei que só é assim porque eu o permito, e assim sendo, tenho noção que tenho de trabalhar muito para ficar uma pró na língua francesa!
E estamos assim. Desempregados, num novo país, sem datas certas, e com uma sorte imensa por termos uma família incrível!
Haja fé e muita força!

Até à próxima publicação,
Bisous